Será que você vai se divertir?

Ao lê-los, tanto quanto eu, ao escrevê-los? São acometimentos poéticos, como diz o Moura, sem aspiração nenhuma à galeria dos não-efêmeros. Estão naquela categoria das vocações não realizadas do Pestana machadiano. Ora bolas, nem por isso deram-me menos prazer intelectual em sua composição. Espero que você o tenha em sua leitura, hipotéticos leitor e leitora; que os obtenha, prazer, em sua, nossa companhia. Bom divertimento. Em acréscimo, se se fizer acompanhar de um bom vinho, e embarcar na onda compositiva de cada texto, ser-te-ão, creia-me, agradáveis como aperitivo, para depois encarar um Iacyr, um Fiorese, um Edmilson, um Polidoro, um Mutum, apenas para ficar em uns poucos da prata da casa. Como diz minha amiga Flavja Biju, uma das grandes vantagens de se ter um blog é a plena possibilidade de escrever pelo prazer da escrita. Bon voyage!

Aí vão alguns acometimentos (ao modo primeiro como foram compostos, assim sem necessárias modificações posteriores, como convém a um espaço como esse) feitos a partir de algumas preferências do autor pelo mundo das artes, obras e artistas; pelo mundo no qual vivemos, pelas coisas mundanas e etc, etc.

1 restauro
2 dança
3 três perguntas a Pedro Guedes
4 Machado de Assis (fragmento)
5 de avental e descalço, no ateliê
6 xadrez
7 tartaruga marinha

.
restauro
À Martha e ao Max

 

trabalho silencioso sobre a eternidade,
cinzel no rosto sob a máscara,
suor e compasso nos grãos de areia

será vidrotil de ampulhetas coloridas,
ou mosaico de paixões por vir?
(à hierarquia do vento,
sussurra o pó na calçada)

é quando o homem pergunta:?
e em resposta
o tempo passa gel de cobre
em seus apelos.

———————————————————————————————————-

dança
pro pessoal do Cos’é

 

a menina bailarina
gira, rodopia pelo chão

artesã do movimento,
premedita os segundos com os pés
e cava o espaço com as mãos

dito assim, onde a magia
do corpo que transcende abismo e tempo
no lapso do olho que a via?

———————————————————————————————————-

três perguntas a Pedro Guedes,
pintor

 

1
quem ensina
às minhas retinas
que o que vejo
é sal ou sina?

2
quem me vê,
na obra que teço,
vê o que vê
ou o que em mim desconheço?

3
no que sou risco e traço,
subverto o foco do olho
ou fragmento em terremoto de cores
o corpo do mundo onde não alcança o abraço?

———————————————————————————————————-

Machado de Assis

conheço o açoite por seu lado doce
entre cabo e lâmina(s)
situei minha escritura

bruxo? nem tanto,
se minha alma, humana,
à divina não enchesse,
de espanto

———————————————————————————————————-

de avental e descalço, no ateliê

sol de verão
sem os raios:
um olho de Klee

mangas verdes com palitos
brinquedo no quintal:
silhueta de Picasso

gengiva de abóbora
dentes talhados à faca de cozinha:
detalhes de Miró

tomates e pimentões
em amarelas frigideiras (também sopeiras em geladeiras):
instalação de Warhol

facas derretidas sobre pães
cabeças nos queimadores dos fogões:
aromas de Dali

cotidiano e seu tributo
ao seu sensível oculto
na arte exposta dos mitos

———————————————————————————————————-

xadrez

se em cada movimento me contemplo
e, caçador de moinhos, movo mais que vento,
aguardo, no desenlace de cada partida,
a queda lenta, aposta rara com o tempo,
que a asfixia do relógio anuncia

cavaleiro de torres altas e sabidas,
abro mão de tendências suicidas
e busco encontrar nas colunas e fileiras
o sutil desprezo dos peões pelo tabuleiro

mas soberano das vestes ricas e não vistas,
cortejo aquela por quem tem mais cobiça
o servo bem mal pago de Caíssa:
a dama que desposa o jogador
da batalha em que, para ganhar,
é forçoso deixar perder a vida

————————————————————————————————————

tartaruga marinha

(no noturno píer da Orla Bardot, com dor de cotovelo)

 

no vaivém das ondas lentas,
vem, vagando sozinha,
tartaruga marinha

sombra líquida errante,
vagando marinha,
tartaruga sozinha

não sabes de mim,
teu fito é ser sozinha,
tartaruga marinha

não és de ninguém,
(és de todos e não és minha),
tartaruga marinha,
tartaruga sozinha.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s